Mas afinal porque criei um blog?

sexta-feira, 3 de agosto de 2018

Sinto no olhar, e muitas vezes no tom de voz de algumas pessoas uma enorme dúvida sobre o porquê de ter um blog. 
"Será para mostrar tudo o que tenho? Será por falta de fazer? Será que isto de ter um blog dá dinheiro? Porque raio queres ter um blog afinal?"
Aposto que pelo menos uma destas perguntas já passou pela vossa cabeça. Pois bem, hoje decidi responder o porquê de eu ter um blog.


Em 2012, estava eu no final do curso de Multimédia quando a turma teve como projeto a criação de um blog. Eu sempre adorei ver blogs e canais no youtube,  claro que gostei imenso da ideia. Mas, como seria de esperar este projeto de blog em turma só durou até receberemos a nota, ninguém queria ter a responsabilidade de cuidar daquele espaço. No entanto, eu fiquei com o bichinho.
Durante um momento menos positivo da minha vida criei este blog (sim, este espaço existe desde 2012). Usava este blog para me distrair, para dar asas à imaginação, para não ficar parada na verdade!
Os meus posts eram completamente sem nexo. Um dia partilhava posts de "faça você mesmo", no outro sobre unhas, até que comecei a partilhar sobre maquilhagem. Isto tudo sem planeamento. Fazia publicações só de vez em quando.


Em 2015, fui para o Porto. Como já tinha descoberto a minha paixão por maquilhagem decidi tirar um curso de maquilhagem (podem ver o vídeo sobre este assunto aqui). Dediquei-me imenso ao blog. Sentia, e ainda sinto, uma enorme vontade de escrever, de falar, de poder partilhar os meus conhecimentos com alguém. 

Adoro o facto de poder ajudar alguém com as minhas dicas, ou simplesmente a partilhar convosco as atividades do meu dia a dia.
Sei que haverá sempre alguém do outro lado que irá tirar algo de bom dos meus posts ou vídeos.

A criação deste blog começou por ser uma auto-ajuda, mas hoje em dia espero que seja uma união entre auto-ajuda e ajuda ao próximo. Os meus posts são maioritariamente dedicados a mulheres. Nós mulheres sofremos imenso, e cuidar de si não é futilidade, são mimos merecidos!



Outra actividade que amo fazer é dar workshops de auto maquilhagem. De todos os workshops que já fiz saí da sala sempre com um sorriso no rosto e com a sensação de que aquelas mulheres preocupam-se consigo, querem saber mais, querem valorizar a sua beleza. Conseguem imaginar a sensação de sair de uma sala e saber que podem ter ajudado várias pessoas a sentirem-se melhor consigo mesmo?

Então com isto, peço-vos que deixem de olhar para as bloggers e maquilhadores como pessoas fúteis, como um emprego "não válido". 

6 comentários

  1. Amei o texto, de verdade. Acho que tem que existir uma ressignificação da palavra BLOGUEIRA, muitas vezes, basta você falar a palavra blogueira, que algumas pessoas já fazem um pré-julgamento de que pessoas blogueiras são fúteis por gostarem de maquiagem, moda ou o que seja, eu acho isso muito ruim, até porque quando se fala em blogueira, não se está falando de um nicho só, não é só moda ou maquiagem, é muito amplo, são vários nichos, vários motivos e razões pelos quais aqueles blogs existem,eu fico muito feliz que você se sinta realizada com o seu cantinho, amei o post, bjs!

    www.blogisadoraxavier.blogspot.com

    ResponderEliminar
  2. Como beauty blogger sei bem o que é sentir o estigma que somos pessoas mais fúteis pois temos uma paixão por maquilhagem/beleza. Acho que esta ideia é mesmo descabida pois apesar de dedicarmos a maioria dos nossos posts aos temas não significa que não somos capazes de ter outros interesses.

    All We Need Is... | Facebook | Instagram

    ResponderEliminar
  3. Eu criei o meu blog também numa aula na escola e acabei por ficar com ele e pensar em publicar os meus textos que tinha guardado por tanto tempo.
    E acho que uma das tuas paixões é dar workshops de maquilhagem deves continuar até eu gostava de ter uma.
    Beijinhos!
    http://grandesonhadorablog.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  4. Esperamos que continues por cá muitos e bons anos! :D

    ResponderEliminar

© Believe. Todos os Direitos Reservados | Beatriz Couto .